terça-feira, 2 de agosto de 2011

Resenhando: Box Of Secrets, de Blood Red Shoes



Blood Red Shoes podia ser só mais uma bandinha alternativa inglesa, mas é composta por Laura-Mary Carter (voz e guitarra) e Steven Ansell (voz e bateria). Uma dupla que foge dos moldes da nova onda do verão. Não, eles não são fofos, não cantam músicas fofas e muito menos exaltam o amor em suas composições. Enquanto Ansell explode tudo com as viradas maquinais de suas baquetas, Carter faz com que as cordas de sua guitarra gritem os hinos de uma juventude crua e nada fora do comum, do mesmo, onde poderíamos nos encaixar.

Em Box Of Secrets (2008), o primeiro disco de carreira do duo, não poderia ser diferente. Erros cometidos, conselhos evitados, palavra nenhuma a proferir. Podia ser só mais alguns dos clichês que vemos em várias canções por aí. Podia ser só mais algumas daquelas canções melancólicas sobre relacionamentos falidos ou arrependimentos. Mas não. É o cotidiano comum tocado com tanta energia que às vezes parece impossível que somente duas pessoas possam reproduzir toda essa sonoridade.

“Say Something, Say Anything” é uma das típicas faixas de miolo do disco, uma das melhores, diga-se de passagem. Tem refrão bacana, riffs bacanas. “I Wish I Was Someone Better” é a favorita do álbum, não nego. Nessa faixa eu costumo querer tocar bateria junto e fazer os vocais junto com Laura-Mary, porque é onde há uma das melhores sobreposições de voz dela (apesar de preferir quando ela assume os vocais e Ansell faz o apoio). Fica bonito de ouvir, sei lá. Parece um quebra-cabeça completamente aleatório ganho de alguma festinha de aniversário que quando vamos montando sem ter nenhuma expectativa mas que no final torna-se surpreendente.

“It's Getting Boring By The Sea” faz parte da trilha sonora do filme pseudo-cult-indie
Scott Pilgrim Vs. The World e é pancada na primeira audição. No refrão “Let's consider a change of scenery/ It's getting boring by the sea” podiam estar falando de Fortaleza aqui, não? Eu achei. Para fechar o disco da caixinha de segredos, “I Hope You're Holding Up” encerra com uma pegada mais leve, após tanta pancadaria. Parece até um sussuro comparada às implosões auditivas.
                                   


No mais, Box Of Secrets é um disco muito bom. Não é fenomenal, mas é muito bom. Fica ainda melhor de ouvir quando colocamos na mesma playlist algumas das músicas de seu sucessor Fire Like This, parido em 2010. Blood Red Shoes é para se ouvir de manhã cedo para enfrentar o trânsito e recarregar as baterias, literalemente (é uma das bandas que entram na minha mixtape de ‘para começar o dia’).

Um comentário:

  1. Eu tinha escutado um bucadim deles, mas agr vou baixar o album =B

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...